Ysabella sonha

"- As almas das poetisas são todas feitas de luz, como as dos astros: não ofuscam, iluminam...."

Meu Diário
10/10/2008 21h45
Fragmentos do Diáriode Flor
trecho do "DIÁRIO DO ÚLTIMO ANO " 1930de Florbela Espanca


JANEIRO 193011- "Para mim? Para ti? Para ninguém. Quero atirar para aqui, negligentemente, sem pretensões de estilo, sem análises filosóficas, o que os ouvidos dos outros não recolhem: reflexões, impressões, idéias, maneiras de ver, de sentir- todo o meu espírito paradoxal, talvez frívolo, talvez profundo.Foram-se há muito os vinte anos, a época das análises, das complicadas dissecações interiores. Compreedi por fim que nada compreendi, que mesmo nada poderia ter compreendido de mim. Restam-me os outros...talvez por eles possa chegar às infinitas possobilidades do meu ser misterioso, intangível, secreto."
 


Publicado por ysabella em 10/10/2008 às 21h45
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
09/10/2008 12h37
diário

Procurei o amor, que me mentiu.
Pedi à vida mais do que ela dava;
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!

Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!

Passei a vida a amar e a esquecer...
Atrás do sol dum dia outro a aquecer
As brumas dos atalhos por onde ando...

E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há-de partir também... nem eu sei quando...


Amor.. Este poema não é para ti. É para mim. Tu sabes o porquê... "procurei o amor que me mentiu" e deixei o amor... que és tu... talvez fugir... Espero que não...


É como me sinto agora... Desculpa...


Amo-te... mesmo que não saiba amar-te como mereces! Mas amo. Muito.

(não o escrevi, mas gostaria de te-lo feito)


Publicado por ysabella em 09/10/2008 às 12h37
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
09/10/2008 12h02
Diário
"Foram-se há muito os vinte anos, a época das análises, das complicadas dissecações interiores. Compreendi por fim que nada compreendi, que mesmo nada poderei ter compreendido de mim. Restam-me os outros... talvez por eles possa chegar às infinitas possibilidades do meu ser misterioso, intangível, secreto."

 

 

(Trecho do diário de Florbela Espanca)

 

 

Publicado por ysabella em 09/10/2008 às 12h02
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 3 de 3 1 2 3 [«anterior]

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras